Faça parte. Contribua. Aprenda.

Contribua e aprenda com grandes intelectuais.
Doe R$ 200 ou mais e ganhe um curso. — Professor do mês: Marcio Pochmann.

Instituto Lula

Menu

A população negra avançou no campo político com Lula?

05/04/2018 12:40

Foto: Agência Brasil


Clique acima para participar do Financiamento coletivo para manter vivo o Instituto Lula.
#SejaInstitutoLula Participe!


Do Portal Alma Preta 
Texto de Pedro Borges

No dia 9 de Janeiro de 2003, no primeiro mês enquanto presidente da República, Lula decretou a inclusão, no calendário escolar, do feriado de 20 Novembro, data da morte de Zumbi dos Palmares.

Durante a gestão da principal liderança do Partido dos Trabalhadores (PT), outras medidas foram tomadas, baseadas em pautas históricas do movimento negro, como a criação do Estatuto da Igualdade Racial e da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (SEPPIR).

Alma Preta decidiu conversar com ativistas do movimento negro, de diferentes espectros políticos, com o intuito de avaliar as ações do governo Lula para a comunidade afro-brasileira.

A reportagem vem a público no momento em que o ex-presidente, acusado de corrupção, se defende na esfera jurídica de um processo que pode culminar na sua prisão. Lula, que também continua no páreo para concorrer ao pleito deste ano, segue na liderança das pesquisas eleitorais e tem apoio de parte da população negra.

A pesquisa Afrodescendentes e Política, realizada pelo Painel BAP, aponta que 22% do eleitorado negro paulista votaria e 19% votaria com certeza em Lula na corrida presidencial deste ano. Em contrapartida, 34% diz que não votaria nele em hipótese alguma, 6% provavelmente não votaria, 17% poderia votar ou não e 4% não soube responder.

O senador Paulo Paim (PT) acredita que o apoio ao ex-presidente se justifique pelo reconhecimento, por parte de Lula, de negras e negros como sujeitos de direito.

“Com a pressão do movimento negro e a sensibilidade desenvolvimentista de Lula, diversas políticas públicas para população negra foram criadas”.

Deputada Federal (PT) e ex-ministra da Assistência Social de 2003 a 2007, Benedita da Silva recorda que ações adotadas pelo governo Lula em áreas como a educação e a economia contribuíram para o desenvolvimento da população negra.

“Nos governos Lula e Dilma, pela primeira vez em 500 anos, a renda da população preta e parda cresceu 51,4%, enquanto a da população branca aumentou 27,8%, segundo o IBGE”.

Tago E. Dahoma, integrante do Ciclo de Formação Marcus Garvey, acredita que os avanços da gestão, diante do apoio recebido pelo movimento negro e pelos afro-brasileiros, foram tímidos.

“Podemos perceber que as políticas no governo Lula foram na maioria das vezes universais e, com isso, ressoavam na população negra. Mas em algo que se precisava especificar racialmente, poucas coisas foram feitas”.

Veja o que os entrevistados acham das políticas de Lula no portal Alma Preta .