Faça parte. Contribua. Aprenda.

Contribua e aprenda com grandes intelectuais.
Doe R$ 200 ou mais e ganhe um curso. — Professor do mês: Emir Sader.

Instituto Lula

Menu

Boletim 150 – Comitê Popular em Defesa de Lula e da Democracia

19/07/2018 09:14

Arte: Agência PT

Do  PT 

1. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva divulgou hoje mensagem alusiva à comemoração do aniversário póstumo de 100 anos de Nelson Mandela, uma das maiores lideranças mundiais, o advogado, guerrilheiro e presidente da África do Sul, falecido em 2013. “Hoje faz 100 anos que nasceu Nelson Mandela. Nos encontramos algumas vezes, mas infelizmente não fomos presidentes ao mesmo tempo.

A sua lição de luta, perseverança e que o perdão pode curar os ódios de uma nação dividida são importantes no Brasil de hoje, onde o racismo ainda é muito forte e onde querem reconstruir um apartheid social que lutamos tanto para diminuir. O ser humano não nasce odiando, ele é ensinado a isso. Então vamos ensinar as pessoas a serem mais justas, solidárias e sem nenhum tipo de preconceito”, disse Lula, que teve uma forte amizade com “Madiba”.

2. Nelson Mandela, líder que ousou combater o racismo, lutar contra o apartheid e pelos direitos dos sul-africanos, foi perseguido e preso sem ter cometido crime, mas voltou e se tornou o presidente do seu povo. A semelhança entre o caso dele e o de Lula, preso há 103 dias em Curitiba por uma condenação sem nenhuma prova de crime cometido, foi lembrada por ativistas que estão na Vigília #LulaLivre: um preso político, parte de um processo fraudado por aqueles que não o querem de volta à Presidência da República.

3. As atividades na praça Olga Benário começaram com o ato de bom dia ao ex-presidente que teve a participação de petroleiros vinculados à FUP (Federação Única dos Petroleiros) e de ativistas que chegaram de Santa Catarina. Os militantes começaram a saudação celebrando os 100 anos de Mandela: “Mandela vive!” e “ Lula Livre!” foram as palavras de ordem. O mesmo ritual se repetiu depois, no boa tarde a Lula, puxado pela vice-presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores da Educação (CNTE), Marley Fernandes.

4. Mais tarde, Marley Fernandes e Vanda Santana, secretária-geral da APP-Sindicato dos Professores das Redes Públicas Estadual e Municipais no Paraná, participaram do programa Democracia em Rede, produzido pela Casa da Democracia, que faz parte da Vigília Lula Livre. O programa debateu a organização sindical dos trabalhadores e os ataques à educação pública no Brasil pelo governo golpista.

5. Outra atividade ocorrida à tarde na Vigília foi a oficina de fotografia “Mulher Bonita é a que Luta”, coordenada por Denise Veiga, fotógrafa e jornalista da Central Única dos Trabalhadores (CUT). A atividade ganhará exposição em breve.

6. Reunidos desde o dia 13 de julho em Tóquio, no Japão, sindicalistas do Brasil e de países da América Latina, ao lado de representantes sindicais japoneses, manifestaram solidariedade ao ex-presidente Lula, preso político desde o dia 7 de abril em Curitiba. Em todas as atividades do intercâmbio internacional, organizado pela Japan International Labour Fundation (Jilaf), fundação ligada à Rengo, a Confederação Japonesa de Sindicatos, a palavra de ordem foi “Lula Livre!”. Saiba mais: http://www.pt.org.br/no-japao-cut-denuncia-prisao-politica-de-lula