Faça parte. Contribua. Aprenda.

Contribua e aprenda com grandes intelectuais.
Doe R$ 200 ou mais e ganhe um curso. — Professor do mês: Marcio Pochmann.

Instituto Lula

Menu

Convicção sem provas é ideológica, racista, elitista

23/01/2018 15:43

"Não podemos permitir que sem provas e por pura convicção as coisas se deem na política e na economia no nosso país". Foto: (Reprodução)

Da Rede Brasil Atual 

 O ativista e professor Douglas Belchior gravou um vídeo, divulgado pela TV Brasil 247, em que fala sobre fatos históricos no Brasil que se deram "sem provas, por convicção". Desde a escravidão, passando pela ditadura, a opressão a pobres e negros, até o momento político atual. "Sem provas, mas por convicção, depuseram uma presidenta", afirma. A expressão, que se tornou corrente, se baseia em declarações de procuradores da Operação Lava Jato contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que terá recurso julgado na próxima quarta-feira (24).

"Não podemos permitir que sem provas e por pura convicção as coisas se deem na política e na economia no nosso país. Porque a gente sabe que essa convicção que não precisa de provas é uma convicção de classe, é uma convicção ideológica, política, é uma convicção fascista, racista, elitista", diz ainda Belchior.

Segundo ele, a ofensiva contra quem é "mais famoso" serve de exemplo para endossar a violência "aqui embaixo". 

"Deste lado eu posso dizer, aqui tem provas, além da convicção. A prova da força do nosso povo, da resiliência, da organização política. Nós vamos reagir, nas ruas e nas urnas."

Confira a fala na íntegra:

Diziam que meu povo não tinha alma. não havia provas, mas por convicção a escravidão se fez. Quase 400 anos.

Não havia provas, mas havia convicção de que o Brasil seria tomado por comunistas, comedores de criancinha. Bom, duas ditaduras. A última, quase 30 anos.

Sem provas e por convicção, chacina do Carandiru, Candelária, Vigário Geral, Eldorado dos Carajás, crimes de maio de 2006.

Sem provas, por convicção, os 111 tiros nos cinco garotos negros no Rio de Janeiro, o arrastamento de Cláudia Ferreira, o espancamento e a morte de Luana dos Reis.

Sem prova, por convicção, chacina do Cabula. E Rafael Braga continua preso.

Sem provas e por convicção, a polícia continua esculachando nas suas abordagens, em cada esquina de quebrada, periferia, favela deste país. quando não some com os corpos, quando não assassinam, sobretudo a juventude, mas as crianças.

Sem provas, mas por convicção, depuseram uma presidenta. 

Não podemos permitir que sem provas e por pura convicção as coisas se deem na política e na economia no nosso país. Porque a gente sabe que essa convicção que não precisa de provas é uma convicção de classe, é uma convicção ideológica, política, é uma convicção fascista, racista, elitista.

Nós não vamos permitir que isso se dê contra ninguém. Porque contra quem se dá, se é mais famoso, mais importante, isso acaba servindo como exemplo para endossar e justificar a violência aqui embaixo, aqui no chão, aqui na favela.

Sem provas, mas por convicção, o caralho. Não vamos permitir, não. Sem provas e por convicção não vão levar o nosso povo, não vão continuar a nos destruir. 

Aqui deste lado eu posso dizer, aqui tem provas, além da convicção. A prova da força do nosso povo, da resiliência, da organização política. Nós vamos reagir, nas ruas e nas urnas. Tamos juntos, é nóis.

Confira o vídeo aqui.