Faça parte. Contribua. Aprenda.

Contribua e aprenda com grandes intelectuais.
Doe R$ 200 ou mais e ganhe um curso. — Curso do mês: Filosofia e feminismo, com Marcia Tiburi.

Instituto Lula

Menu

“Imaginam que matando o Chico Mendes mataram sua luta?”

12/02/2019 11:44

“Eu não conheço o Chico Mendes, escuto histórias de todos os lados. Dos ambientalistas mais ligados à esquerda, que o enaltecem. E das pessoas do agro que dizem que ele não era isso que contam. Dizem que usava os seringueiros pra se beneficiar”. São palavras do atual ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, entrevistado nesta segunda-feira (11) pelo programa Roda Viva, da TV Cultura. Ricardo Lessa, apresentador do programa, questionou: “Se beneficiar do que? Ele é reconhecido pela ONU”. “O que importa quem é Chico Mendes agora?”, respondeu o ministro de Bolsonaro.

O ministro, que ainda afirmou que Chico Mendes é “irrelevante”, é acusado pelo Ministério Público de fraudar processo do Plano de Manejo da Área de Proteção Ambiental da Várzea do Rio Tietê a fim de beneficiar setores empresariais, em 2016, quando estava à frente da pasta do Meio Ambiente do governo de Geraldo Alckmin, em São Paulo.

Chico Mendes foi um seringueiro, sindicalista e ativista político brasileiro. Incansável defensor da floresta Amazônica e dos povos extrativistas que dela dependiam, foi o primeiro brasileiro a receber o Prêmio Global 500 da ONU, em 1987, como forma de reconhecimento pela sua luta em defesa do meio ambiente. Seu ativismo desagradou parcelas da sociedade, em especial fazendeiros latifundiários. Chico Mendes foi assassinado em 22 de dezembro de 1988, com um tiro de escopeta, quando saía para tomar banho nos fundos de sua casa, em Xapuri, Acre.