Instituto Lula

Menu

Nota sobre os 63 anos do suicídio de Getúlio Vargas

24/08/2017 22:18

Populares são contidos em frente ao aeroporto Santos Dumont durante o embarque do corpo de Getúlio para o RS. Foto: Memorial da Democracia

Em 24 de agosto de 1954, o presidente Getúlio Vargas foi levado ao suicídio pelas forças antipopulares, os representantes de interesses estrangeiros e a imprensa mais reacionária da época.

Odiavam Getúlio por tudo que ele fez pelos trabalhadores e pelo desenvolvimento do Brasil: a criação do salário mínimo e da CLT, a criação da Petrobrás e da pioneira siderúrgica de Volta Redonda, o salto para a industrialização, a proposta de criação da Eletrobrás e a expansão do ensino público, entre outros avanços.

63 anos depois, as mesmas forças que atacaram Getúlio tentam destruir seu legado. Uma por uma, as conquistas do Brasil e dos trabalhadores estão sendo revogadas por um governo ilegítimo e pela maioria golpista do Congresso.

Hoje é dia de reverenciar a memória de Getúlio e, principalmente, seguir lutando para defender seu legado, que pertence ao povo brasileiro.

Luiz Inácio Lula da Silva