Faça parte. Contribua

Vamos juntos manter o Instituto Lula em atividade neste primeiro semestre de 2018

Participe

Instituto Lula

Menu

Entrevista à rádio Metrópole de Salvador

07/03/2018 13:02

Lula disse que os processos na Justiça têm o apoio de seus adversários, que querem que ele fique fora da disputa (Ricardo Stuckert)

Do Lula.com.br 

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta terça-feira (6) que aqueles que insistem em inviabilizar seu nome na disputal eleitoral temem que ele ganhe já no primeiro turno. Em entrevista à rádio Metrópole, de Salvador (BA), o ex-presidente ressaltou que seus opositores não conseguiram construir um candidato com credibilidade para disputar contra ele. 

"Eles estão em uma situação complicada. Não conseguem achar um candidato que tenha credibilidade. O que deixa eles preocupados, irados, é que só tem uma unanimidade agora. Estão todos tentando evitar que eu seja candidato por uma razão: é que se eu for candidato posso ganhar no primeiro turno", avaliou.

Para o ex-presidente, sua candidatura cresce à medida que representa a capacidade de reconstrução do país. "Não conseguiram construir uma candidatura porque eles não tem o que falar para o povo brasileiro. Só falam em corte, corte, corte e sempre em prejuízo dos pobres", destacou Lula. "Eles sabem que nesse momento eu sou uma das poucas pessoas que podem consertar esse país".

O ex-presidente afirmou que confia que sua condenação será revertida em instâncias superiores. "Tanto eu acredito que estou recorrendo", disse, ao afirmar que espera ser inocentado até o "dia do registro da candidatura".

Habeas Corpus

Lula comentou a votação do pedido de Habeas Corpus preventivo que corre no STJ. O pedido da defesa será analisado hoje pelo tribunal. "Se dependesse daquela votação no TRF4 eu não teria porque acreditar na Justiça. Aquilo pareceu uma encenação, pareceu que nenhum dos juízes leu o processo. Espero que as pessoas que vão me julgar hoje no STJ leiam o processo, leiam as acusações e a defesa e permitam que o povo possa me julgar em outubro", ponderou.