Faça parte. Contribua. Aprenda.

Contribua e aprenda com grandes intelectuais.
Doe R$ 200 ou mais e ganhe um curso. — Professor do mês: Emir Sader.

Instituto Lula

Menu

Lula: É preciso espalhar a verdade

07/12/2018 15:54

Foto: Ricardo Stuckert

Paulo Okamotto, presidente do Instituto Lula, visitou nesta quinta-feira (6), o ex-presidente na sede da Polícia Federal, em Curitiba. Nesta sexta-feira, Okamotto escreveu um pequeno relato a amigos e militantes:

"Visitei o companheiro Lula ontem na sede da Polícia Federal em Curitiba. E para minha surpresa encontrei um homem forte, resiliente, consciente da situação do Brasil e da sua própria situação. E claro, absolutamente indignado por estar há oito meses encarcerado sem provas. Ele está com a saúde boa e trabalhado muito a cabeça. Lê muito, assiste muitos documentários e faz mais de 1h15 de exercícios diariamente. Conversamos sobre a conjuntura brasileira e mundial, e ele me relatou que tem estudado muito sobre o petróleo e como a questão energética tem um peso enorme na geopolítica. 

Eu relatei que estamos retomando a campanha LULA LIVRE e ele disse que não adianta ficarmos dizendo ‘Lula livre’ sem explicar para o povo brasileiro cada caso que o envolveram. Disse que temos que transformar as sacanagens que fizeram com ele, em histórias para o povo entender. Essa sacanagem desse tríplex, desse sítio, a falta de provas contra ele e toda injustiça histórica que está passando. 

Claro que falamos também sobre a saudade que ele sente de conviver com a família, da tristeza de estar longe dos filhos e netos e do povo brasileiro, que é como se fosse família pra ele. Mas eu senti que ele, mesmo injustiçado como está, segue pensando no Brasil e nas pessoas como fez toda sua vida. E quer sair de lá para voltar a lutar pelo Brasil. E disse ainda que não troca a sua dignidade por liberdade nenhuma.

Ele me pediu que dissesse a todos que defendem a inocência dele, a todos que mandam milhares de cartas todos os dias, a todos que estão na vigília, que fazem orações, que o defendem nas ruas ou na internet, aos companheiros e conselheiros do Instituto Lula, que ele é profundamente agradecido e queria poder abraçar cada um."

Paulo Okamotto