Instituto Lula

Menu

A Uneal e a transformação de Alagoas

23/08/2017 18:51

Apresentação de Guerreiro na entrega do título de doutor honoris causa a Lula em Arapiraca. Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula

Foi com o sentimento de alma lavada que o reitor da Universidade Estadual do Alagoas (Uneal) Jairo José Campos da Costa entregou o título de doutor Honoris Causa ao ex-presidente Lula nesta quarta-feira, 23.

O ex-presidente passou por Arapiraca, no Alagoas, durante o projeto  Lula Pelo Brasil, que está percorrendo os estados do Nordeste.

“Minha vontade e falar de tudo o que passei até aqui”, afirmou o acadêmico, que recebeu ameaças de morte após anunciar que o Conselho Universitário entregaria o título ao ex-presidente.

Durante a cerimônia de entrega, ele lembrou que a instituição possui autonomia universitária, o que garante o direito da Uneal de fazer a homenagem.

Para ver todas as fotos do evento, acesse o Flickr do Instituto Lula .

“Entretanto, o momento é de regozijo, confraternização e alegria. Sem dúvida, um grande momento para a nossa querida Universidade Estadual de Alagoas”, disse ele.

Ao receber o título, Lula afirmou que o reitor tem ensinado os meninos e meninas da universidade a ter um papel na história política deste país.

“Nenhuma pessoa que te ameaçou tem a dignidade de andar de cabeça erguida nas ruas como o reitor dessa universidade tem”, disse Lula.

“A Uneal foi agredida porque assumiu um compromisso com a transformação social do Alagoas e do Brasil. Isso é imperdoável para os que governaram o Brasil em cinco séculos com uma mentalidade retrógrada”, afirmou o ex-presidente.

O reitor agradeceu a Lula pela sua atenção em melhorar a educação no Estado. “Agradeço, presidente Lula, a oportunidade para que a Uneal pudesse qualificar índios, agricultores familiares, e tantos outros grupos que sempre foram historicamente esquecidos”, disse.

“Conte conosco, querido Lula, em sua luta contra os tubarões do capitalismo, que não medem esforços para destruir seu legado. Não passarão!”

Lula lembrou que em seu governo também foram criados 6 novos campi da Universidade Federal do Alagoas, e 11 escolas federais.

“Tratar a educação como um privilégio e não como direito de todos foi uma das formas de perpetuar a desigualdade no país. E foi por isso que investimos tanto em ampliar o acesso e melhorar a qualidade do ensino público do país”, disse Lula.

Lula também falou sobre sua atenção ao povo nordestino. “Parecia que o Nordeste estava predestinado a ser uma área esquecida e abandonada”, disse ele. E foi por isso que ele investiu tanto em educação na região.

Das 18 novas universidades de sua gestão, sete estão no Nordeste. “E eu fiz questão de provar que o povo nordestino não era inferior ao americano, ao francês, ao paulista ou a qualquer outro povo do mundo. O povo nordestino precisava apenas de oportunidade”, disse.

O reitor afirmou acreditar que uma mudança de paradigma ainda é possível, e para que o povo brasileiro não desista. “Não é preciso ser doutor para saber que o poder vem do povo e pertence ao povo, mas é preciso sacudi-lo, acordar o povo. Iremos às ruas quantas vezes forem necessárias em nome da possibilidade real de um governo popular”, disse ele.

“Estamos prontos, como em outros momentos sóbrios da nossa história, a lutar por um modelo alternativo. Mas temos certeza que não teremos mais um vice golpista”, pontuou o professor.

Lula voltou a criticar o governo golpista. “Se depender do incompetente que governa esse país, vão vender a Petrobras, a BR e vão entregar os poços de petróleo para empresas estrangeiras”, denunciou Lula.

Vocação para a educação
Atuando há 46 anos no interior de Alagoas, a Uneal caminha rumo à plena consolidação da qualidade na oferta do ensino superior.

Atualmente, a universidade possui aproximadamente 6 mil estudantes em seis campi cuja vocação é a formação de professores. Graças ao Programa de Apoio à Formação Superior em Licenciatura em Educação do Campo (Procampo) que graduou, este ano, 54 professores cuja atuação ocorre na zona rural dos municípios alagoanos.

Além disso, é a única instituição a integrar o Programa de Apoio à Formação Superior e Licenciaturas Interculturais Indígenas (Prolind/SECAD).

Por Clarice Cardoso, enviada especial ao Nordeste com a caravana Lula pelo Brasil, para a Agência PT de Notícias