Instituto Lula

Doe agora
Menu

“A educação permite ao ser tomar consciência de si”

24/09/2020 14:00

Na abertura do seminário internacional Educação e as sociedades que queremos, Lula resumiu em duas frases o esforço feito em seus governos para enfrentar o desafio dos 500 anos de desigualdades na educação brasileira. “Pela primeira vez na história, a maioria pobre, negra e trabalhadora do povo brasileiro foi colocada no centro e na direção das políticas públicas” e “pela primeira vez os pobres entraram no orçamento do Estado, não como um dado estatístico, muito menos como um problema, mas como a solução dos problemas do desenvolvimento do país”.

Também participaram do evento realizado nesta quinta-feira (24) o indiano ganhador do Prêmio Nobel da Paz, Kailash Satyarthi, a diretora geral da Parceria Global pela Educação, Alice Albright e a relatora especial da ONU para o Direito à Educação, Kombou Boly Barry, além do ex-ministro da Educação no governo Lula, Fernando Haddad. O seminário foi organizado pela Organização do Mundo Islâmico para Educação, Ciência e Cultura (Icesco), em parceria com a relatoria especial para direito à educação da ONU, o Instituto Lula e a Campanha Nacional pelo Direito à Educação.

Durante os governos Lula e Dilma Rousseff, 36 milhões de brasileiros saíram da pobreza extrema, o Brasil saiu do Mapa da Fome da ONU e 21 milhões de empregos formais foram criados. 

A evolução do Brasil no campo da educação nesse mesmo período foi reconhecida por diversos participantes.

A relatora da ONU para o direito à educação, Koumbou Boly Barry, lembrou que a experiência brasileira em educação é de interesse mundial e Lula foi um governante “que muito colaborou com o progresso mundial, fortalecendo os laços entre os povos”. Salim al Mailik, diretor geral da Icesco, disse, após o discurso de Lula: “Todos testemunhamos as mudanças que você fez quando presidente do Brasil. Sua abordagem, de que os pobres são parte da solução, e não o problema, é uma coisa que quase todos os países do mundo precisam colocar em prática”. O prêmio Nobel Kailash Satyarthi começou sua fala saudando “meu querido amigo e herói Lula”. Kailash visitou Lula na prisão em Curitiba em outubro de 2019, quando o ex-presidente estava preso.

Em sua fala, Lula prestou ainda uma homenagem a Paulo Freire, destacando uma das lições deixadas pelo educador: “a educação é libertadora no mais amplo sentido que pode ter a palavra liberdade. O ex-presidente também lembrou seu centenário, a ser celebrado em 2021: “Neste mês de setembro, iniciamos as comemorações do centenário de nascimento do educador Paulo Freire. Foi meu amigo, nasceu na mesma região que eu, no estado de Pernambuco, e foi companheiro na criação do Partido dos Trabalhadores”. 

Fernando Haddad falou na segunda sessão do seminário e destacou vitórias que possibilitaram a radical mudança na educação brasileira, como o piso nacional para os professores, um orçamento relativo maior do que a média dos países da OCDE e o foco na educação de qualidade e no atendimento aos mais desamparados.

Assista à fala completa de Lula abaixo: