Instituto Lula

Doe agora
Menu

Lucinda repudia uso de sua poesia em condenação de Lula

29/11/2019 17:07

A poeta, cantora e atriz Elisa Lucinda / Foto: Reprodução/Twitter

Por Diário do Centro do Mundo 

A poeta Elisa Lucinda foi às redes sociais nesta sexta-feira 29/XI para criticar o uso de um trecho de seu poema “Só de sacanagem” pelo desembargador Leandro Paulsen, do TRF-4, no julgamento que elevou a pena do presidente Lula de 12 anos e 11 meses para 17 anos, 1 mês e 10 dias de prisão no caso do sítio de Atibaia.

“Não faz nenhum sentido, porque Lula, para mim, foi o melhor presidente que o Brasil já teve. O único presidente que não era da elite, que fez o que fez pelo povo brasileiro, e que é, para mim, inocente, limpo”, criticou Lucinda.

“Usar esse poema que critica qualquer tipo de corrupção, um poema que pergunta ‘cadê, Queiroz?’, um poema que pergunta por que se mata indígenas e negros nesse governo, sendo que o governo incita a mais matança. É isso que o poema pergunta. Se você achou que o ‘Só de Sacanagem’ poderia ser usado para favorecer fascistas, você não entendeu nada do que eu penso. Leia, concluiu a poeta.