Instituto Lula

Menu

Evento em Portugal reúne lideranças por Lula Livre

11/09/2019 15:38

Foto: Adja Marcela Barros / JPT Lisboa

No último final de semana, entre os dias 6 e 8 de setembro, aconteceu em Portugal um dos maiores eventos político-culturais de esquerda da Europa, a Festa do Avante! 2019. O evento, que é produzido desde 1976 pelo Partido Comunista Português (PCP), acontece em Seixal, na área metropolitana de Lisboa, e reúne inúmeras lideranças, organizações e partidos políticos de esquerda de todo o mundo, em especial os partidos comunistas. Em formato similar aos festivais, a estrutura do evento conta com diversificada programação musical, opções gastronômicas e uma ampla agenda de debates políticos, abarcando um vasto leque de questões locais e internacionais.

O Núcleo do Partido dos Trabalhadores de Lisboa, que existe desde 1993, esteve mais uma vez entre os partidos estrangeiros que compõem a área internacional do evento, com participação nas últimas 25 edições. Neste espaço, a militância petista conversou com a comunidade internacional, local e imigrante, angariando 1147 assinaturas no abaixo-assinado pela liberdade de Lula, que serão encaminhadas na próxima semana ao Instituto Lula e que se somam a outras 92351 mil já arrecadadas em plataforma online.

Este ano, a militância petista teve um desafio triplo, pois o último dia da Festa do Avante (8) coincidiu com o Processo de Eleições Diretas do Partido dos Trabalhadores (PED) e o Encontro do Núcleo do PT em Lisboa para votação de chapas, que define também sua coordenação. Tanto a festa quanto o PED e o Encontro contaram com a presença de Zeca Dirceu, Deputado Federal pelo Partido dos Trabalhadores.

Em ano eleitoral, sua 43ª edição ocorreu em um processo de campanha para as eleições do Parlamento Europeu, o que refletiu nas pautas que nortearam toda sua programação. Jerónimo de Sousa, secretário geral do PCP abriu o evento com um discurso que abordou pautas históricas da esquerda no mundo e que incidem diretamente no cotidiano da juventude e da classe trabalhadora. Questões como o fim dos cortes de salários, o acesso à saúde e ao transporte público de qualidade, o direito à creche até os três anos de idade, o aumento da proteção aos desempregados e o direito ao abono de família, que se trata de um auxílio do governo a famílias com menores rendimentos e com despesas extras por crianças e adolescentes, foram pautas abordadas enquanto responsabilidades básicas, que devem ser asseguradas pelo Estado. O discurso do dirigente tocou em garantias fundamentais, praticadas em qualquer governo democrático comprometido com o bem estar social. “Camaradas e amigos, a festa ficará mais bonita quando se encher os espaços e as avenidas!”, disse Jerónimo de Sousa.

Foto: Adja Marcela Barros / JPT Lisboa

Jerónimo de Sousa, Secretário Geral do PCP discursa na cerimônia de encerramento

Como nos anos anteriores, o estande do PT contou com sua tradicional lojinha, onde foram vendidos botons, livros e camisetas do Núcleo do Partido dos Trabalhadores em Lisboa. Também havia panfletos e produtos do Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra (MST), além do Coletivo Andorinha – Frente Democrática Brasileira em Lisboa e da Agência de Notícias da Favela (ANF). Mas novidade este ano no espaço do PT foi uma exposição de fotografias da trajetória do ex-presidente Luíz Inácio Lula da Silva, preso político há mais de 500 dias, vítima da ruptura democrática no país.

O papel dos militantes do Partido dos Trabalhadores que estão em Portugal e participaram destes três dias intensos de debate político e de celebração à resistência foi fundamental na ampliação de denúncia do golpe que segue em curso no Brasil. Um amplo trabalho nas redes sociais foi realizado pela equipe de comunicação do Núcleo do PT em Lisboa, com transmissões ao vivo, registros fotográficos e entrevistas com diversas lideranças. Todo este trabalho envolveu uma atuação ativa dos militantes do Núcleo, da Juventude do PT (JPT) que começa a se estruturar em Lisboa e do Diálogo e Ação Petista de Lisboa (DAP), lançado em junho deste ano na perspectiva de dinamizar em Portugal as ações pela liberdade de Lula e pela defesa da democracia no Brasil.

Cerca de 20 mil pessoas passam pela Festa do Avante todos os anos, a juventude do partido comunista comanda uma intensa programação de shows, atividades e debates políticos em uma grande área verde, distribuídos em palcos por setores, como: Espaço Central, Espaço Internacional, Espaço Solidariedade, Cidade da Juventude, Espaço Ciência, Espaço Crianças; Festa do Livro e Espaço das Artes. Vindos de norte a sul do país e de diversos países do mundo, os visitantes da festa contaram com uma estrutura de camping pago e traslados gratuitos entre a estação de trem mais próxima e a área da festa. Compartilharam um agitado final de semana, mobilizados na luta contra o avanço conservador e festejando a força transformadora da esquerda em Portugal e no mundo.

A Festa do Avante segue forte promovendo os valores de abril e ressaltando a importância da defesa dos direitos humanos e da democracia. Ter a militância petista em um espaço internacional gritando Lula Livre e denunciando retrocessos faz com que as léguas que separam Brasil de Portugal sejam desimportantes. A festa termina e os cravos murcham, mas a luta continua.

Por Francisco Mateus e Karina Morais, dos Jornalistas Livres