Instituto Lula

Doe agora
Menu

Vídeo: Golpes no Brasil têm a ver com aumento salarial

21/06/2022 21:04


A elite brasileira e o atraso nacional são tema de vídeo do Instituto Lula que denuncia: o Brasil para esse pessoal sempre deu certo


Os golpes no Brasil foram todos relacionados ao aumento do salário mínimo. A denúncia foi feita pelo professor de Economia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Eduardo Costa Pinto, durante a entrevista realizada pelo grupo Gate do Instituto Lula. Veja aqui.  Os pontos mais importantes da fala do professor foram editados no vídeo  "A elite brasileira e o atraso nacional", lançado nesta terça-feira (21) no canal do YouTube do Instituto Lula. “Os golpes não têm nada a ver com a questão da propriedade, mas com a questão salarial. 2016, 1964 e o golpe que Getúlio (Vargas) tomou só não se concretizou porque ele se suicidou”, diz o professor. “Todos marcados por forte aumento do salário mínimo.”

Eduardo diz ainda que o termo trabalhismo no Brasil e na América Latina é considerado comunista. “Por isso chamam de política populista. Populista virou palavrão. E o trabalhismo, que é questão salarial, virou palavrão, como se fosse uma tecnicalidade e a política neoliberal fosse uma técnica perfeita.”

Para o professor, a política pode aumentar a autonomia relativa do Estado diante desse bloco, a elite, no poder do capitalismo brasileiro. “O Brasil, para esse pessoal, desde a proclamação da República, tem dado certo. Não o Brasil como sociedade, mas a forma como eles conseguem obter lucro, se manter nas suas posições.”

O economista ressalta ainda que somente a partir dos anos 2000 os trabalhadores brasileiros foram realmente incorporados à formalização. “O acesso completo à Constituição de 1988 gerou uma profunda mudança.”