Instituto Lula

Doe agora
Menu

Boletim mostra revolução tec na agricultura da China

13/06/2022 21:30

Divulgação

Nesta terça-feira (14), o grupo de pesquisa Fronteira Digital, o front-D, realizou uma mesa redonda para debater o boletim online “O estudo de caso das Vilas Taobao”. O vídeo com a mesa redonda foi exibido no canal do YouTube do Instituto Lula.

A mediação foi feita pelo pesquisador Cheng Li. Os convidados para o papo são a jornalista Camila Marins e o responsável por negócios no continente asiático, André Quemé.



Assista ao vídeo no player abaixo:


Leia o boletim

Sobre a mesa redonda

A mesa redonda e o segundo boletim aprofundam a análise do desenvolvimento do comércio eletrônico rural na China, a partir da experiência prática das vilas de comércio eletrônico conhecida como “Vilas Tabao”. Taobao é um site chinês de compras online e plataforma de comércio eletrônico, semelhante ao MercadoLivre no Brasil.

Já no primeiro boletim, ficamos sabendo que o maior empecilho dos pequenos agricultores chineses está entre a produção fragmentada e baseada na unidade familiar e o grande mercado que ainda se compõe dos canais de venda subdesenvolvidos (inclusive através de intermediários), causando altos custos de transação que são repassados aos consumidores e que reduzem os rendimentos dos agricultores. 

Esse problema poderia ser solucionado pelo comércio eletrônico rural, que reduz as etapas de negociação desnecessárias, como comprador na origem, atacadista na origem, atacadista no destino, varejista etc. E realmente realizar a proposta de entregar produtos agrícolas diretamente das terras para a mesa de jantar.

Entretanto, juntamente com a entrada maciça de capital nas áreas rurais, por um lado, os intermediários convencionais poderiam ser substancialmente conquistados pelas gigantescas empresas de tecnologia através de suas plataformas digitais. Assim sendo, cabe perguntar: os pequenos agricultores estão simplesmente subordinados a uma nova entidade de poder que é melhor do que a anterior? Ou seja, a situação dos pequenos agricultores está realmente melhorando? É o que o front-D quer debater.

Quem participa da mesa

O pesquisador Cheng Li é pós-doutorando do Cesit/Unicamp e tutor acadêmico da academia on-line da Universidade Global do Trabalho.

Pesquisa, ainda, como pós-doutorando no Centro Internacional para o Desenvolvimento e Trabalho Decente, Universidade de Kassel; e no UNI-Global Union Asia & Pacific. As áreas de pesquisa incluem política trabalhista, relações industriais e estudos sindicais, economia do desenvolvimento, industrialização etc.).

Convidada para o debate, Camila Marins é jornalista, mestranda em políticas públicas em direitos humanos pela UFRJ. É feminista negra, sapatão e uma das editoras da Revista Brejeiras e foi diretora do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Município do Rio de Janeiro.

André Quemé é responsável por negócios no continente asiático na incubadora de ideias Ericsson ONE. Membro ativo do ecossistema de startups chinês, vive em Beijing há mais de uma década em que estudou cinema, trabalhou em comunicação e tecnologia. Hojé é mentor em aceleradoras internacionais, organizador de eventos para startups e fundador da comunidade LATAM CHINA TECH, que tem a intenção de aproximar o conhecimento entre a China e América Latina na área de inovação.

Sobre o front-D

O projeto do Instituto Lula chamado "Novas e velhas desigualdades na era digital no Brasil da terceira década do século 21" conta com o núcleo de pesquisa front-D, dedicado ao mapeamento da fronteira digital, ou seja, o grupo investiga como a tecnologia impacta o cotidiano das pessoas na cidade, na cultura, na saúde, na economia, nas dinâmicas de trabalho e na organização política. O front-D produziu uma série de boletins online apresentando os resultados das pesquisas.

O núcleo publica dois boletins para cada um dos seguintes temas

1. Políticas de cuidado

2. Vida nas cidades

3. Cultura na era digital

4. Pequenos agricultores e plataformas digitais

5. Nova cartografia digital

6. Financeirização e tecnologias digitais no ensino superior

Nos links abaixo, leia e baixe todos os boletins publicados pelo front-D.

Parte 1

1 - O cuidado na agenda política, o cuidado em disputa

2 - Cidades Inteligentes: soluções e desafios para cidades menos desiguais

3 - Cultura e Tecnologia no Brasil recente

4 - Quando os agricultores são impulsionados pela internet na China

5 - A Amazônia entre a terra e as techs nas novas fronteiras digitais

6 - Economia política das tecnologias digitais no Ensino Superior

Parte 2

1 - O cuidado na era digital

2 - Monitorando a Cidade Inteligente: câmeras de vigilância, monitoramento inteligentee racismo tecnológico

3 - Tecnologias Digitais, Cultura e Pandemia: fronteiras e desigualdades

4 - O estudo de caso das Vilas Taobao

5. O ambiente entre as tecnologias digitais acionadas por governo e sociedade

6 - Tecnologias digitais no ensino superior: desafios de uma sociedade desigual