Instituto Lula

Doe agora
Menu

Lula: “O povo brasileiro não é número, é gente”

30/04/2020 09:08

Foto: Ricardo Stuckert

Da Redação da Agência PT de Notícias

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou duramente as declarações desumanas de Jair Bolsonaro, em reação à trágica notícia de que o Brasil, com mais de 5 mil mortos, ultrapassou o número de óbitos da China. “Essa falta de respeito e solidariedade do Bolsonaro às vítimas do coronavírus e aos seus familiares mostra que precisamos discutir a mudança de governo”, afirmou Lula, em entrevista à Super Rádio Tupi, do Rio de Janeiro. “É grave, isso é resultado do desgoverno do Bolsonaro. Ele não cuida da pandemia, não cuida da economia e não cuida do povo”.

A deputada federal e presidenta do PTGleisi Hoffmann, também condenou a insensibilidade do chefe do Executivo ao tratar da tragédia vivida pelas famílias brasileiras. “Bolsonaro não tem amor pelo Brasil e pelos brasileiros”, afirmou.

“Enquanto Bolsonaro responde ‘E daí?’ sobre os mais de 5 mil brasileiros mortos por coronavírus no Brasil, [a então presidenta] Dilma fez discurso emocionado em 2013 em consôlo aos familiares de vítimas da tragédia da Boate Kiss”, comparou. “Essa é a diferença de uma verdadeira patriota para outro que se diz ser”.

bancada do PT no Senado também reagiu à desumanidade do presidente. À esdrúxula comparação de si mesmo a Cristo – “Quer que eu faça o quê? Sou Messias, mas não faço milagre” –, feita por Bolsonaro na noite de terça-feira (29), o senador Rogério Carvalho (SE), rebateu com firmeza. “Não se trata de milagre, se trata de responsabilidade. As mais de 5 mil mortes registradas até hoje no Brasil estão na sua conta, Bolsonaro, por não seguir as orientações da OMS e estimular o contato social. A responsabilidade é sua, presidente”, disse o líder da bancada.

O senador Humberto Costa (PT-PE) também subiu o tom. “É um presidente que ri da tragédia do país e do seu povo. Esse é o genocida que governa o Brasil e que está pouco se lixando para o fato de termos, nas últimas 24 horas, um recorde de mortos por Covid-19”, ressaltou. O senador Paulo Rocha (PT-PA) disse que “a crueldade da frase [de Bolsonaro], sem a mínima empatia, explica porque a maioria dos brasileiros já quer que ele saia da Presidência da República”.

“É preciso cuidar do ser humano em primeiro lugar”

Em meio ao momento mais agudo da crise até agora, com aumento expressivo do número de casos, o ex-presidente também comentou atuação do novo ministro da Saúde, Nelson Teich. “Ele não entende nada de saúde. Ele trata de fundos de investimento, não trata de saúde”, observou Lula.

O petista também criticou a falta de coordenação do governo junto a estados e municípios na formulação de uma estratégia de combate à pandemia. “O presidente Bolsonaro transformou os governadores em inimigos, transformou os prefeitos em inimigos, todo mundo que fala algo em contrário, vira inimigo. Assim não é possível governar o país”, lamentou.

Para o ex-presidente, é preciso que o governo implemente medidas que garantam a proteção a todos os trabalhadores. “Não é apenas uma questão econômica, financeira. É preciso cuidar do ser humano em primeiro lugar. O povo brasileiro não é número, é gente”, disse. Lula defende que o Brasil não pode poupar esforços para salvar vidas e empregos, rodando dinheiro para girar a economia. “Temos de garantir que as pessoas possam sobreviver enquanto durar a pandemia”.

Assista à entrevista de Lula à Rádio Super Tupi: