Instituto Lula

Doe agora
Menu

ʽNão pode ser um Código Penal pra mim e outro pro restoʼ

21/08/2020 09:39

Foto: Ricardo Stuckert

Por Agência PT de Notícias 

“Se o que foi feito por Moro e Dallagnol não for julgado, pagaremos um preço histórico muito caro”, advertiu o ex-presidente Lula em entrevista ao canal de Youtube TV Democracia, comandando pelo jornalista Fábio Pannunzio. Para Lula, “a sociedade já não acredita em parte da justiça. Moro foi um desastre para o poder Judiciário. É um paradoxo”, destaca Lula. “Fui absolvido em todos os processos em que fui julgado fora de Curitiba”, lembra.

Na entrevista, Lula reafirmou a necessidade do julgamento do caso do powerpoint, adiado pela 41ª vez pelo Conselho Nacional do Ministério Público na terça-feira, 18. “Essa semana o Dallagnol fez uma via sacra tentando pedir proteção”, lembrou Lula. O caso está na pauta do CNMP há vários meses sem julgamento pelos conselheiros. “Não adianta tentarem proteger ele, eu vou atrás. O veneno que eles fizeram eu passar, eles vão provar. Vou provar que bandidos eram eles”, disse.

Lula lembrou que a sua defesa está há quatro anos pedindo o julgamento do Dallagnol. “Todo mundo sabe que ele está lutando pela prescrição. Por isso fomos obrigados a acionar o STF para cobrar”, disse Lula. “Não dá pra gente brincar falando em lei. Não dá pra existir um Código Penal para o Lula e outro pro resto”, questionou, alertando que o país não pode conviver com a política do lawfare.

O ex-presidente também comentou a delação de Palocci, anulada pela Polícia Federal por absoluta falta sequer de indícios. “Quem lesse a delação do Palocci saberia que aquilo era mentira pura. Um monte de colagem de jornal”, disse Lula. “Ele construiu uma mentira que interessava ao delegado e que foi utilizada pelo Moro pra eleger o Bolsonaro”. A delação foi um dos principais “instrumentos” de campanha utilizados contra o candidato Fernando Haddad.

Ainda na entrevista, Lula cobrou a cobertura tendenciosa da Rede Globo durante todo o processo da operação Lava Jato. “O doleiro dos doleiros (Dario Messer) deu uma declaração de que ele costumava entregar malas de dólares para os Marinho. Simplesmente o JN diz que não procede e acabou”, lembrou. “Se fosse o Lula… Era Bom Dia Brasil, Boa Noite Brasil, Bom Almoço Brasil… Seria todo mundo durante uma semana”, disse.

Assista: