Instituto Lula

Doe agora
Menu

No Maranhão, Lula lembra conquistas de seu governo

21/08/2021 12:04

Foto: Ricardo Stuckert

Por lula.com.br

Em coletiva de imprensa em São Luís (MA) no final da manhã desta sexta-feira, 20, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva lembrou conquistas sociais importantes dos anos em que o PT esteve na Presidência, lamentou o aumento da pobreza no Brasil e apontou a solução do problema da fome como prioridade. Há hoje, no país, 19 milhões de pessoas passando fome e 34 milhões em situação de insegurança alimentar.

“O problema da fome hoje não é falta de terra, nem falta de produção de alimentos. O problema é a falta de dinheiro para comprar alimentos. A gente precisa efetivamente fazer com que o dinheiro chegue nas mãos do povo”, disse lembrando do Bolsa Família, programa de seu governo que fez distribuição de renda e virou referência mundial.

Lula também falou do Mais Alimentos, criado em 2008 com objetivo de fomentar a produção agrícola e incrementar a produtividade da agricultura familiar, oferecendo aos produtores crédito, acesso a tecnologia e assistência técnica. “Esse programa foi um sucesso tão grande que nós estendemos ele para países africanos e para todos os países da América Latina, financiando trator de até 80 cavalos para que o pequeno produtor pudesse melhorar a sua produção. É isso que a gente vai fazer no Brasil outra vez. O Estado tem que investir em tecnologia para que o pequeno produtor possa cada vez mais produzir mais. O Estado tem que dar assistência para esses produtores e ter certeza de que, se o povo tiver o dinheiro na mão, ele vai comprar o alimento”.

Ele afirmou ainda que, nos governos do PT, o Brasil estava vivendo decentemente, com a política de inclusão social que foi feita. Citou assentamento em 54 milhões de hectares de terra, 51% do que foi feito em 500 anos, geração de 20 milhões de empregos e garantia. “Nunca a agricultura familiar foi tratada com o respeito que foi tratado. Nunca a empregada doméstica teve tantos direitos quanto teve no nosso governo. Nunca o povo que morava tendo como luz a lua ou um candeeiro pode ser tratado recebendo gratuitamente luz na casa deles”.