Instituto Lula

Doe agora
Menu

O legado de luta de Jacó Bittar (1940-2022)

26/05/2022 13:26

O Instituto Lula lamenta a morte do líder sindical e ex-prefeito de Campinas, Jacó Bittar, que faleceu nesta quinta-feira (26), aos 81 anos, em decorrência de complicações do mal de Parkinson.

Em seu histórico de luta, destaque para o período em que foi presidente do Sindicato dos Petroleiros de Campinas e Paulínia (SP). Foi afastado da diretoria por participar da primeira greve da categoria, durante a ditadura, em 1983. 

Ao lado de Lula, foi também um dos fundadores do Partido dos Trabalhadores e atuou incansavelmente em defesa da democracia e pelas transformações sociais no Brasil. Em 1988 foi eleito da cidade de Campinas (SP), um dos maiores colégios eleitorais do estado, e uma das prefeituras mais importantes do partido à época.

Bittar está entre os principais líderes do Novo Sindicalismo brasileiro. Também chamado de “sindicalismo autêntico”,  foi marcado por líderes que desafiaram a legislação antigreves e começaram a romper as amarras da organização sindical subordinada ao Estado, modelo implantado no país desde a década de 1940. Os trabalhadores impulsionaram a luta pela redemocratização não somente por meio de greves: iriam criar seu próprio partido, o PT, em 1980, e a Central Única dos Trabalhadores, a CUT, em 1983. Articulado com outros movimentos sociais, o Novo Sindicalismo levaria a pauta dos trabalhadores às ruas e à Assembleia Constituinte (1987-1988), conferindo nova qualidade à luta política na transição da ditadura para o regime democrático.

Os principais expoentes do Novo Sindicalismo, como Jacó Bittar, eram de uma geração formada sob a repressão do regime militar, que atingiu duramente os sindicatos e organizações políticas da classe trabalhadora. 

Nossa homenagem a Jacó Bittar – e a muitos outros brasileiros que lutaram pela democracia e por dignidade – está registrada em um material exclusivo do Memorial da Democracia sobre o Novo Sindicalismo.

Visite o museu virtual do Instituto Lula e relembre as lutas de Jacó Bittar e outros sindicalistas que se transformaram em  líderes de expressão nacional.