Instituto Lula

Doe agora
Menu

'Prisão de Lula é parte do projeto contra trabalhadores'

27/08/2019 15:28

Paulo Okamotto, presidente do Instituto Lula / Foto: PT Paulista

A prisão de Lula “faz parte de um projeto de destruir as conquistas do povo trabalhador, um projeto de levar o Brasil para o neoliberalismo. Isso significa que é preciso ter um Estado bem pequenininho, que não gaste dinheiro com o povo”. Paulo Okamotto, presidente do Instituto Lula, participou no último sábado (24) da Plenária do Comitê Estadual Lula Livre de São Paulo. Durante o evento, falou sobre o ex-presidente e a organização da luta por sua liberdade diante do cenário político atual. 

Okamotto destaca que o momento do país exige esforço de diálogo e escuta. “Hoje nós temos uma situação que a gente precisa aproveitar para politizar, para informar, para mobilizar mais o povo. Temos o Lula preso injustamente e o governo Bolsonaro eleito fazendo o que está fazendo.” 

O presidente do Instituto Lula ainda reforça que a bandeira #LulaLivre pode abarcar as demais lutas do povo brasileiro, uma vez que a prisão do ex-presidente não é um fato isolado, e sim um projeto político que está em curso no Brasil já há alguns anos. “É a questão da reforma trabalhista, da reforma previdenciária, da destruição da política da educação, da saúde, da cultura, de combate às queimadas da nossa floresta”, aponta. Ele ainda afirma que “estamos construindo uma sociedade, como diz o Lula, em que 30% pode viajar, comer nos bons restaurantes, comprar carro, ir nos médicos, pagar universidade, e 70% se mata para poder sobreviver.” 

Para cumprir o desafio de convencer a população da tragédia que se desenha no país, “é preciso incentivar muitos tipos de organizações sociais, grupos de pessoas, coletivos que discutem política”. Okamotto exemplifica: “Se você está lutando para preservar a floresta, você é um potencial Lula Livre, porque a floresta está sendo destruída dentro do projeto que prendeu o Lula”.

Okamotto ainda reforça a importância do abaixo-assinado pela anulação dos julgamentos do ex-presidente, lançado pelo Comitê Nacional Lula Livre, a ser entregue aos ministros do Supremo Tribunal Federal. 

Confira a fala de Paulo Okamotto na íntegra: