Instituto Lula

Doe agora
Menu

“O povo brasileiro quer apenas saber a verdade”

19/06/2020 11:35

Por Tiago Pereira, da Rede Brasil Atual

Em entrevista na manhã desta quinta-feira (18) à Rádio Arapuan, de João Pessoa, Lula comemorou a prisão de Fabrício Queiroz, ocorrida horas antes. Para ele, o país está diante da oportunidade de esclarecer várias passagens obscuras do governo do presidente Bolsonaro.

“Faz muito tempo que estão procurando ele. Querem saber se ele sabe alguma coisa da rachadinha da família Bolsonaro, se era caixa 2. E o que mais ele transava (sic) em nome dos Bolsonaros”, afirmou. “E até se ele tinha alguma relação com aqueles que mataram Marielle. Tudo isso pode ser esclarecido, se a polícia e a Justiça agirem com muita seriedade O povo brasileiro quer apenas saber a verdade.”

Queiroz foi detido preventivamente na casa do advogado Frederick Wasseff, em Atibaia, interior de São Paulo. O caseiro afirmou ao delegado que comandou a ação que Queiroz estava morando na residência há cerca de um ano. “O que é mais grave é que ele estava hospedado na casa do advogado do filho do Bolsonaro e também do Bolsonaro. E essas pessoas, cinicamente, diziam que não sabiam onde ele estava.”

O ex-assessor parlamentar foi detido, em ação conjunta das polícias civis do Rio de Janeiro e de São Paulo, que cumpriam mandados expedidos pela Justiça do Rio, a pedido do Grupo de Combate à Corrupção (Gaeco) do Ministério Público do Rio (MP-RJ). Ele é suspeito de ser o operador de um esquema de desvio de salários de servidores do gabinete do então deputado estadual Flávio Bolsonaro, conhecido como “rachadinha”

Wasseff advoga tanto para Flávio, quanto para o próprio Jair Bolsonaro e tem livre trânsito no Palácio do Planalto. Ele, inclusive, participou, nesta quarta-feira (17), da cerimônia de posse do ministro das Comunicações, Fábio Faria, em Brasília.

Apesar dos indícios do envolvimento de Queiroz no esquema de “rachadinha” e de afirmar que “ele já deveria ter sido preso há muito tempo”, Lula disse que é preciso aguardar as investigações.

Impeachment

Para levar adiante o processo de impeachment de Bolsonaro, é preciso comprovar que o presidente cometeu crimes de responsabilidade, segundo Lula. “Eu acho que ele cometeu muitos crimes de responsabilidade. Mas não sou eu quem tem que julgar. É a Justiça e o Congresso Nacional”.

Para o ex-presidente, o “crime imperdoável” cometido por Bolsonaro é o “genocídio” relativo às vítimas da pandemia de coronavírus, que já soma mais de 46.500 mortos. “Ele não cuidou da pandemia no começo, e não está cuidando até agora. Ele não acredita na ciência, desafia todos os cientistas e pesquisadores. Enquanto ele não cuida disso, o povo está morrendo”.

O agravante, segundo Lula, é que os mais pobres são as principais vítimas da pandemia. Estudo do site Medida SP apontou que, na Grande São Paulo, 66% das vítimas viviam em bairros com salários médios abaixo de R$ 3 mil. Ele voltou a cobrar que o governo agilize a liberação do auxílio emergencial, para que as pessoas possam cumprir as medidas de isolamento. “Até agora tem muita gente que não recebeu.”

Confira a íntegra da entrevista:

Edição: Fábio M Michel (Rede Brasil Atual)