Instituto Lula

Doe agora
Menu

Vídeo: inclusão digital das pessoas com deficiência

04/08/2022 21:10

Reprodução

Para falar das lutas das pessoas com deficiência é preciso dar voz a essas pessoas. E foi isso que fez o pesquisador Annibal Coelho de Amorim. Doutor em Saúde Pública e coordenador adjunto de pesquisa da Rede PMA (Programa de Políticas Públicas, Modelos de Atenção e Gestão do Sistema e Serviços de Saúde) da Fiocruz, Annibal apresentou na noite desta quinta-feira (4) seu artigo sobre pessoas com deficiência, suas lutas, formas de organização e identidade social na era digital. O tema faz parte do ciclo Desigualdades: Identidades e Cuidados com cinco webinários  promovidos pelo Instituto Lula. Ao todo serão 18 seminários  apresentados nos meses de julho, agosto e setembro, com transmissão pelo canal do IL . O trabalho de Annibal foi comentado pelo professor Luís Carlos Fadel, doutor em Saúde Pública também da Fiocruz.

Assista ao vídeo



O tema é fundamental, destaca Annibal, seja pela especificidade ou pela expressão desse segmento populacional. São cerca de 23,9 milhões de pessoas (IBGE/2019) ou 8,4% da população brasileira com algum tipo de deficiência. Annibal lembra o lema da bandeira de luta das pessoas com deficiência: “nada sobre nós sem nós”. Assim, explica, seu estudo foi feito a partir do Fórum Interinstitucional da pesquisa da Rede PMA, em abril deste ano. O trabalho tem por objetivo identificar lacunas político-assistenciais que fragilizam a equidade das políticas públicas e a produção de conhecimento desse segmento populacional.

Segundo o pesquisador, um estudo sobre a web para todos concluiu que somente 1% das pessoas com deficiência no Brasil têm acesso à era digital. “Essa é uma desigualdade crescente e que se aprofunda com a presença do neocolonialismo que estamos vivenciando. As políticas neoliberais que cortam direitos, que subvertem a ordem jurídica, que transgridem e apresentam um outro tipo de opressão, agravam ainda mais esse campo das desigualdades sociais enfrentadas pelas pessoas com deficiência”, afirma Annibal.

Propostas

“É fundamental que as políticas públicas sejam efetivadas mas a partir das vozes e do protagonismo da luta dessas pessoas”, ressalta o pesquisador, elencando uma série de propostas de atuação para esse segmento populacional, a partir do que foi ouvido na pesquisa. O resgate dos conselhos de controle social de políticas públicas e a organização de fóruns, seminários, conferências regionais, onde esses temas sejam discutidos. Também a reafirmação da política de educação inclusiva como uma questão de direito humano e a estruturação do plano plurianual voltado às questões de acessibilidade e inclusão digital, assim como a priorização de previsão orçamentária para ampliar programas com esse fim.

E, sempre, claro, com a garantia de inclusão e participação de pessoas com deficiência na avaliação de projetos e propostas que atendam seus interesses.

Contribuição à sociedade

Fruto do Ciclo de Estudos e Pesquisas do Instituto Lula que trata das novas e velhas desigualdades na era digital, os 18 webinários apresentam e debatem estudos aprovados em chamadas públicas realizadas pelo IL no final de 2021. O edital PesquisAção ofereceu quatro bolsas de R$ 6 mil cada para a realização de pesquisas. Um segundo edital ofereceu 15 bolsas de R$ 3 mil para a produção de artigos. Os contemplados agora dividem seu conhecimento com o público também por meio dessa série de seminários em nosso canal do Youtube. Além dos webinários, serão publicados três livros com uma coletânea desses artigos e pesquisas.

“Depois de alguns meses de trabalho e discussões internas, esse é um momento oportuno para os autores receberem comentários, críticas e sugestões de convidados externos sobre seus trabalhos”, afirma o professor Luís Vitagliano, coordenador do núcleo de articulação e integração do projeto Velhas e Novas Desigualdades da Era Digital , do Instituto Lula.

“São estudos e pesquisas diretamente relacionados aos propósitos de atuação do Instituto Lula. O objetivo é contribuir para o esclarecimento e a solução de problemas relacionados ao desenvolvimento e soberania nacional, a redução das desigualdades e ao avanço social, político, econômico e ambiental do Brasil na era digital”, destaca Jorge Abrahão de Castro, doutor em Economia, integrante do Grupo de Acompanhamento de Temas Estratégicos (Gate) e curador dos debates.

Acompanhe a primeira série de webinários sobre o tema Soberania e Segurança na Era Digital